Menu
Bem-Estar / Desenvolvimento Humano / Lifestyle

10 Dicas Básicas para o Bem-Estar

© Mariana Guimarães

É óbvio ou quase óbvio que procuramos, sempre, em última análise, estar bem na vida. No entanto, nem sempre sabemos como o fazer, e sobretudo em momentos mais desafiantes, podemos mesmo sentir-nos longe dessa possibilidade. Como todos nós, eu já passei esses momentos, e para além das formações que fiz, foi sobretudo a experiência desses momentos, bem como a experiência simples do dia-a-dia, que me ensinaram e ensinam como viver uma vida boa todos os dias. Sim, eu acredito que há dias melhores, e outros piores. Mas podemos estar bem no nosso core, no nosso tronco, na nossa pele, no nosso ser, mesmo quando passamos por situações, emoções, sentimentos e estados mais ou menos desafiantes, profundos ou intensos. Aqui partilho 10 dicas básicas para o bem-estar na vida, independentemente do que estejas a viver, 10 coisas que podes praticar e que dependem apenas de ti.

  • Dica # 1 – Presente no momento presente

Às vezes é fácil estar no momento presente, outras só nos apetece fugir. Mas a realidade é, é no momento presente que nos podemos encontrar connosco mesmos e sentir-nos bem. O que quer que estejas a passar, por muito intenso que seja, é no momento presente que tens o poder de fazer mudanças, agir ou simplesmente aceitar o que estás a passar. Se estás bem, então aproveita o momento presente. O passado faz parte, e o futuro também, mas tu estás onde estás agora, e acredita, que, quando te sentires presente onde estás, não importa o que estejas a sentir, podes sentir alívio, bem-estar, e até graça. Aceita o passado, faz as pazes com ele, fica no presente, e constrói o futuro passo a passo com gosto, desde onde estás.

  • Dica #2 – Gestão simples das emoções

Uma forma de estar presente quando só nos apetece fugir é ir de encontro às emoções que estamos a sentir com simplicidade. Especialmente numa sociedade e sistema educativo que não nos ensina, propriamente, a sentir e a aprender a lidar com as emoções, as emoções podem ser aterradoras, em particular para pessoas com maior tendência a senti-las intensamente. No entanto, creio que como seres humanos também estamos aqui para aprender a sentir e lidar com as emoções de uma forma saudável: sem as reprimir e tentar abafar ou mudar, mas sim sentindo-as e observando-as com curiosidade e tranquilidade, sabendo que são como ondas que passam, navegando em cada uma da melhor forma e escutando a sua mensagem ou mensagens, usando-as para o nosso bem e quando se aplica, para o bem de tudo e todos que estão à nossa volta. As emoções não existem por acaso, elas fazem parte de nós, e se estão aqui, é porque são úteis, quando usadas de forma sábia. E usá-las de forma sábia requer vontade, compromisso, e embora muitas das respostas (e todas) estejam dentro de nós, às vezes é preciso ajuda de profissionais, psicólogos ou outros terapeutas competentes. (Ainda) não existe uma cultura geral sobre emoções e como lidar com elas de forma autêntica, construtiva e saudável, mas quantos mais de nós aprendermos a fazê-lo, mais a humanidade em geral terá a facilidade de o fazer, o que pode ter impactos muito significativos não apenas no bem-estar individual mas no coletivo.

  • Dica # 3 – Alegria de viver

Com a presença no momento presente, e o espaço que te dás para sentir, provavelmente vais sentir maior bem-estar, paz e até alegria de viver. Coloco aqui a alegria como dica, mas no fundo ela é uma lembrança de aproveitar a vida que nos foi dada. Estamos vivos! E temos livre arbítrio para co-criar a nossa vida a cada instante, como nos faz mais sentido, infinitas possibilidades dentro das circunstâncias em que estamos, e recursos que temos. É verdade. Às vezes nem precisamos de nos lembrar de aproveitar a vida, outras ela está longe. Imagina que tens um dia pela frente que não te está a parecer nada apelativo e que te está a deixar desmotivado. O que precisas de mudar para gostares dele e fazeres com que seja um bom dia? Leva isto como um jogo. Poderás ter que mudar o dia ou apenas a forma como o levas. Lembra-te que a alegria de viver está sempre dentro de ti, apenas tens que encontrá-la. Em cada dia e momento ela pode esconder-se em lugares diferentes: quando decides descansar o corpo cansado, quando decides fazer algo de uma maneira divertida, quando decides largar peso desnecessário e viver um dia bom, quando decides estar presente com o que estás a sentir e de repente sentes-te bem por estar vivo!,… Podia estar aqui a dar exemplos mas nunca os esgotaria: a alegria de viver encontra-se no momento presente, independentemente do que esteja a acontecer, conectando-te contigo e escutando o que ela está a dizer, ou pedir para fazer. A alegria de viver não é negar emoções profundas de dor, tristeza, raiva, medo. A genuína alegria de viver permite observá-las a partir de um lugar seguro e amoroso, lidar com elas e usá-las com sabedoria e de forma construtiva.

  • Dica #4 – Divertir-se e rir muito

É diferente da alegria de viver porque a alegria de viver é como se fosse a terra debaixo de nós a dar-nos chão e divertir-se e rir muito é uma boa consequência. Só nos conseguimos rir e divertir quando nos sentimos de alguma forma seguros e disponíveis, relaxados ainda que ativos e presentes, abertos, para nos divertirmos, e até para soltarmos umas boas gargalhadas. Investe diariamente no que te faz bem, te diverte e te faz rir!

  • Dica #5 – Viver em conexão contigo e no teu centro

Conexão contigo mesmo sempre e em cada momento é essencial, com o teu centro, com quem és. Viveres e responderes à vida de forma autêntica e ligada. Estares consciente das tuas qualidades, capacidades, características, limites, e sobretudo estares presente dentro de ti, dentro do teu corpo e energia. Deixa que a tua alma more no teu corpo, ele ´é a tua casa base nesta vida.

  • Dica #6 – Cuida do teu corpo físico

Todos os dias: cultivar um corpo ativo e ao memo tempo livre de tensão e stress, descansar bem, fazer exercício físico, usar a energia vital sabiamente, fazer pausas e ter uma alimentação saudável. Cada corpo é um corpo mas estas são necessidades básicas de todos nós. Para saberes exatamente como cuidar do teu corpo e o que te faz bem e em que medidas, aprende com o que já experienciaste até agora (momentos que te tenhas sentido muito bem no teu corpo, momentos que não te tenhas sentido tão bem) e sobretudo fica presente no teu corpo, e escuta-o e às suas necessidades. Podes praticar a consciência corporal através da prática de yoga, dança, bodywork, bodyfulness, mindfulness, alguns tipos de meditação, que ajudam a estares presente e consciente do teu corpo. Procura atender às necessidades do teu corpo físico de forma saudável e que te faça realmente sentir bem. (Por exemplo: se tens vontade de comer chocolate, pergunta-te, é realmente chocolate que me apetece comer ou isso vai-me fazer sentir bem no minuto e depois não me vou sentir tão bem? Uma boa alternativa ao chocolate ou a um doce de pastelaria, é, por exemplo, comer uma taça de frutas com frutos secos e pepitas de cacau cru, ou comer mais legumes verdes. Os desejos revelam necessidades reais do corpo a nível de nutrientes, minerais, etc. Escolhe o exercício físico que te dá gosto e que sentes que te faz bem e pratica-o regularmente. Encontra formas de libertar a tensão e o stress, e até de viver com menos tensão e stress no dia-a-dia. Usa a tua energia vital para aquilo que realmente te faz sentido e descansa bem, o que precisas. Cuidar do teu corpo físico é cuidar da casinha preciosa onde vives sempre!

  • Dica #7 – Criatividade existencial

Escolhe e cria a vida que te faz sentido, que te faz bem, que te faz feliz, com aquilo que tens, com os teus recursos no momento, com a tua rede, com as infinitas possibilidades que sempre existem dentro de cada circunstância. Puxa da tua criatividade, em qualquer situação! Se te abrires ao campo criativo, vais surpreender-te com a quantidade de soluções e até oportunidades que existem para determinados obstáculos ou situações que surjam no teu caminho…

  • Dica #8 – Cuida da tua mente, pensamentos, e comunicação

Cuida do teu discurso e pensamento mental. Da mesma forma que tomas banho regularmente para limpeza e higiene, então mantém a tua higiene mental e observa quando a tua mente, os teus pensamentos, a tua comunicação está suja. O que é uma mente, pensamentos, comunicação suja? Aquilo que não te serve, que cheira mal, que apodreceu, que é destrutivo, que é contraproducente, que não é útil e que não te ajuda a ter uma vida saudável e a contribuir neste mundo de forma saudável. Depois de dizer isto, tenho que fazer uma nota, a melhor forma de limpeza mental é aquela que é feita a partir de quem realmente és, da tua alegria de viver e do teu centro saudável, e não a partir de uma obsessão por limpeza! Relaxa e conecta-te com quem és. Aprende a meditar ou a fazer algo que te ajude a sentir a mente tranquila. Se por acaso observares alguns pensamentos não muito úteis, então aceita que aí estão, solta-os, encontra os verdadeiramente úteis. Tudo isto requer treino, pois estamos aqui também para aprender a lidar com a nossa mente e comunicação da melhor forma. Aproveita!

  • Dica #9 – Organiza o seu tempo

Dá valor ao teu tempo. Organiza-o da forma ideal para ti, dentro das possibilidades que tens. E não te esqueças do tempo para não fazer nada, e deixar que o momento presente te guie! Tempo é vida!

  • Dica #10 – Esquece as dicas e olha para dentro

Tu sabes! Tu és quem melhor sabes o que realmente te faz bem, o que realmente está alinhado em cada momento. Na dúvida e na confusão e no excesso de informação, esquece as dicas, esquece o ruído, silencia, olha para dentro e escuta. Em algum lugar de ti, tu sabes. Confia em ti e pratica essa confiança, relacionando-te contigo autenticamente, sempre!

No Comments

    Leave a Reply